Técnicas avançadas de regulação das velas: aproveitar a velocidade

Conseguir o melhor trim das velas é a chave para aproveitar a velocidade máxima do seu barco.

O corte das velas é uma arte que pode afetar grandemente a velocidade e a eficiência da navegação. Para os velejadores mais avançados, é uma parte integrante da navegação que lhe permite obter o melhor desempenho e adaptar-se às condições climatéricas variáveis. O ajuste correto da vela requer experiência, observação, uma sensação do iate e das condições em que se encontra. Saiba mais pormenorizadamente sobre alguns dos princípios básicos do trim das velas e descubra informações para os velejadores avançados interessados em aperfeiçoar as suas capacidades de trim.

O que é o trim da vela e porque é que é importante?

A regulação das velas envolve o ajuste das velas para aproveitar ao máximo a força do vento, direccionando a velocidade e o movimento do iate. As velas corretamente ajustadas exploram o vento ao máximo, minimizando outros factores inibidores. Um trimming de qualidade não só melhora a experiência de navegação, como também aumenta a estabilidade, reduz a inclinação indesejada e impulsiona o iate para maiores velocidades.

Énovo no trim do barco? Familiarize-se com os tipos de velas de um veleiro e reveja as noções básicas em - Sail trim fundamentals: a guide for beginner sailors.

Observe o barco e as velas: Um trim de qualidade começa com uma observação meticulosa. Monitorize regularmente a forma como as velas interagem com as correntes de vento, experimentando várias configurações para avaliar as reacções do iate. Essas observações estabelecem a base para a compreensão do comportamento das velas em diversas condições e informam quaisquer ajustes necessários.

Trimmer - ajuste da vela

Aparar as velas com um guincho

Definir o ângulo de vela correto:

Conseguir o ângulo correto da vela em relação ao vento é fundamental. Para um desempenho ótimo, as velas devem ser posicionadas de modo a obter o máximo benefício dos ventos predominantes. As nuances diferem para cada direção do vento:

Contra o vento: Utilizar as forças de elevação geradas pela curvatura do vento à volta da vela grande e da bujarrona ou genoa.

Ventos cruzados: O barco tende a inclinar-se devido à força combinada dos ventos cruzados.

Ventode popa: Aqui, é a pressão pura do vento que domina. Por isso, os spinnakers ou gennakers, que funcionam como balões, são lançados para captar o máximo de vento possível - semelhante ao voo de papagaio.

DICA YACHTING.COM: Descubra as vantagens de alugar um gennaker.

Mais artigos para velejadores avançados:

A configuração e o controlo do equipamento são fundamentais

1. Mastro

Um acessório essencial nos iates, os mastros sustentam as velas numa posição vertical. Quer sejam construídos em madeira, alumínio ou fibra de carbono, os mastros existem em três tipos principais: mastro principal, mastro de proa (mastro da genoa) e mastro balão. Nos iates de aluguer standard, um único mastro desempenha frequentemente todas estas funções.

2. Linhas e outros equipamentos de controlo do iate

O cordame é composto por numerosos cabos e outros mecanismos de controlo que permitem a navegação e a manipulação das velas. Para a vela grande, existe normalmente um cunningham, uma linha utilizada para tensionar o luff (ou borda dianteira) da vela em relação ao mastro, especialmente prevalecente em iates mais orientados para o desempenho. O outhaul tensiona a vela desde o mastro ao longo da retranca, movendo-se para trás. Nos iates, também é frequentemente utilizado para puxar a vela para a retranca. O kicker (ou vang) é uma parte essencial da embarcação - um sistema de roldanas que liga a parte da frente da retranca à parte inferior do mastro. Permite aos velejadores achatar a vela de acordo com as condições do vento, criar uma "barriga" ou protuberância para obter mais potência ou, pelo contrário, introduzir uma torção na parte superior para reduzir a potência da vela com ventos fortes.

Gibson, Rob, Sail Trimming, 2020, ISBN 987-80-87383-18-6, página 28, fig. 28

Gibson, Rob, Sail Trimming, 2020, ISBN 987-80-87383-18-6, página 28, fig. 28

3. Componentes do cordame

Trata-se, em primeiro lugar, de cabos de aço e respectivos acessórios que garantem que o mastro se mantém na posição e forma pretendidas. Nos iates à vela, é frequente encontrarem-se espátulas, que são escoras metálicas fixadas ao mastro. As mortalhas, cabos de metal que se estendem da ponta do mastro através das escoras até aos lados do iate, são essenciais para o apoio lateral. Estes permitem ajustar a curvatura do mastro, que por sua vez influencia a forma da vela. Normalmente, nos veleiros, existe também um elevador de topo - uma linha que vai do topo do mastro até à extremidade da retranca. Isto assegura que, ao baixar a vela, a retranca permanece apoiada, evitando potenciais danos no barco.

Mastos, vants e salgas

Cortinas de mastro e de cordame

4. Velas

As velas são a principal fonte de propulsão de um iate. São grandes superfícies de tecido que captam a força do vento, impulsionando o iate para a frente. Existem vários tipos de velas, incluindo a vela principal, a bujarrona, a vela de balão, a vela de gennaker e outras velas especializadas. A regulação óptima de cada vela, bem como a sua utilização combinada com base nas condições meteorológicas actuais, é crucial para maximizar o desempenho do barco.

DICA YACHTING.COM: Saiba mais sobre os 7 ventos mais comuns que encontrará no Mediterrâneo.

5. Sistemas de arreios e de enrolamento

A grande maioria dos iates de oceano está equipada com mecanismos que permitem reduzir a área da vela durante ventos fortes ou tempestades. Estas características diminuem a força do vento que actua sobre a vela, aumentando a estabilidade e a segurança do iate. O sistema de enrolamento das velas (mecanismo que permite enrolar as velas) e o reefing (capacidade de reduzir a potência das velas) podem ser mecânicos ou eléctricos, permitindo uma adaptação rápida e fácil do iate às condições variáveis.

Rolfok

Dispositivo de enrolamento para controlo de velas

6. Eletrónica e tecnologias modernas

Os iates modernos utilizam frequentemente a eletrónica e as tecnologias modernas para automatizar e simplificar o funcionamento do cordame. Por exemplo, os enroladores eléctricos permitem enrolar e desenrolar os cabos de forma fácil e rápida. Alguns iates estão equipados com sistemas electrónicos que monitorizam a força do vento e ajustam automaticamente o cordame para obter um desempenho ótimo.

DICA YACHTING.COM: Embora o ajuste das velas seja essencial, a sua orientação no mar é igualmente crítica. Certifique-sede que está familiarizado com as ajudas de navegação do iate.

Mais dicas e truques

O cordame de um iate é complexo e foi concebido para garantir o desempenho, a velocidade e a segurança. Uma configuração adequada, inspecções regulares e prática no manuseamento das velas garantem uma experiência de navegação agradável e memorável.

Combinação do leme: A interação entre o ajuste das velas e o leme afecta significativamente a estabilidade e a direção do iate. Mantenha-se atento às reacções do iate para alcançar o equilíbrio ideal.

Capacidade de reação às condições meteorológicas: O tempo pode mudar rapidamente. Ajuste o trim das velas com as mudanças na força do vento e esteja atento à monitorização das condições.

Comunicação da equipa: A regulação das velas é um processo de colaboração. A comunicação eficaz com a tripulação assegura uma resposta atempada às alterações e melhora o desempenho do iate.

O corte das velas é uma arte que exige tempo, prática e muita atenção. Os velejadores avançados gostam de experimentar e aprender com cada viagem. Esta dedicação garante que o iate aproveita toda a potência do vento para uma navegação emocionante.

Ajudamo-lo a escolher um iate com base na sua experiência.

FAQs: Aparar as velas para velejadores avançados